Loading...
Você está aqui:  Home  >  Guia de Imóveis  >  Comprar ou Alugar Imóvel

Comprar ou Alugar Imóvel

A compra ou aluguel de um imóvel é uma decisão difícil e que pode ser orientada pela necessidade imediata ou pelo sonho do comprador em relação ao imóvel. A compra garante que o bem seja transferido para o comprador e comumente requer planejamento de longo prazo e pesquisa devido ao seu valor. Já o aluguel é um meio mais fácil de ter acesso ao usufruto de um imóvel, mediante um pagamento muito inferior ao valor do bem e visa atender uma necessidade residencial ou comercial imediata.

  1. Tipos de Imóveis
  2. Vantagens do Aluguel
  3. Benefícios da Compra
  4. Fatores Externos
  5. Como Decidir
casa dos sonhos

A própria casa é sonho de todos – mas vale a pena?

Tipos de Imóveis

Antes de saber se é melhor comprar ou alugar um imóvel tem que definir a que tipos de imóveis este pensamento se aplica. É considerado imóvel todo bem que não possui mobilidade. No contexto residencial é considerado imóvel todo/a

  • casa
  • apartamento
  • área construída
  • terreno,

podendo ser este utilizado ou não para moradia. Casa e apartamento são os imóveis mais procurados. Nos últimos anos, no Brasil, o assunto imóvel encontra-se em evidência, uma vez que ocorreu um boom imobiliário, principalmente devido aos programas de financiamento facilitados, com longos prazos de pagamento. Esse movimento também acabou por elevar os preços dos imóveis de forma geral, assim como dos aluguéis, já que a procura cresceu grandemente.

Desde este momento, a dúvida entre comprar ou alugar um imóvel ficou presente na mente da grande maioria dos potenciais compradores, e também daqueles que já moravam de aluguel ou alugavam um ponto com finalidade comercial, visto a facilidade com que a aquisição poderia ser efetuada, condição esta que existe até os dias de hoje.

Vantagens do Aluguel

O aluguel é uma modalidade conhecida por cada vez mais brasileiros. Segundo a última pesquisa do PNAD, quase 20% da população moram de aluguel. Nos últimos anos, a quantidade de imóveis alugados cresceu mais rapidamente do que a compra dos mesmo. Os motivos para este desenvolvimento são diversos. Um dos mais importantes é simplesmente que comprar uma casa ou um apartamento está mais caro a cada dia. Principalmente nas regiões metropolitanas, os preços dos imóveis deixam inviável a compra para boa parte da população trabalhadora. Mas existem também vantagens verdadeiras que levam à preferência do aluguel.

O aluguel oferece como vantagens a mobilidade já que o contrato tipicamente tem um fim previsto ou uma cláusula para término do mesmo. Ainda que for preciso, aquele que aluga um espaço, independentemente da finalidade, pode encerrar o contrato a qualquer tempo mediante pagamento de multa e mudar-se para um novo espaço. Para aqueles que possuem estabelecimentos comerciais, o aluguel pode representar uma grande oportunidade para a melhoria ou expansão dos negócios, uma vez que ele pode fixar-se em locais de prestígio ou regiões centrais de uma cidade sem ter que dispor de uma grande quantia de dinheiro, o que seria requerido em caso de aquisição.

carteira com pouco dinheiro

A compra pode deixar a carteira mais vazia a curto prazo

A locação é apresenta-se como uma alternativa de moradia para estudantes que residem em outras cidades ou profissionais que exercem sua profissão em municípios longe da sua residência e não desejam se mudar. Por estar vinculada ao IGP-M, o aluguel apresenta baixa variação dos preços, sendo que as maiores variações acontecem apenas a cada triênio, porém a negociação de valores entre os interessados para a fixação de um valor aceitável para ambos. Comprar uma casa ou um apartamento requer tipicamente o comprometimento de uma porcentagem maior da renda disponível por um longo prazo de tempo. O aluguel de um imóvel não compromete tanto o orçamento e possibilita reagir a outras necessidade, como a compra de um carro ou de uma máquina de lavar quando o produto em uso quebrou.

Benefícios da Compra

A aquisição do imóvel, apesar de mais dispendiosa, pode ser vantajosa para aqueles que desejam ser proprietários do espaço que já usufruem através do aluguel ou de algum outro que prospectaram dentro da área desejada. Os donos têm a segurança da propriedade e do local, já que ninguém pode fazer com que tenham que sair. No caso do aluguel, o contrato pode ser terminado ou não prorrogado pelas duas partes, sempre implicando incerteza para quem aluga o imóvel. No contexto de fins comerciais, a compra significa que o comerciante não se verá forçado a sair em virtude de aumentos ou requisição por parte de outrem, garantindo um ponto talvez vantajoso e a permanência em um local conhecido para os clientes. A compra de um apartamento ou uma casa representa uma redução de custos a longo prazo, uma vez que ao terminar o financiamento não haverá mais custo efetivo com moradia.

Comprar um imóvel sempre é considerado um investimento no próprio patrimônio já que o a casa ou o apartamento possuem um valor de venda. No momento que for preciso, um imóvel pode ser trocado por outro ou qualquer outro bem. No fim do contrato de aluguel, o locatário não possui bem material junto ao imóvel. Dependendo de fatores externos, o valor da casa ou do apartamento pode se apreciar. O próprio imóvel também pode ser alugado produzindo um renda regular e adicional. Isto é principalmente interessante para complementar a aposentadoria.

Fatores Externos

Se é viável comprar um imóvel depende de uma série de fatores externos também, como por exemplo os juros de financiamento. Para os financiamentos imobiliários, cada instituição possui sua própria política de cobrança de juros. A taxa pode ser pré-fixada ou pós-fixada. Na primeira, ela é definida no momento que o contrato é fechado e mantém-se a mesma durante toda sua duração; a taxa pós-fixada é definida mensalmente, pois utiliza a variação da Taxa Referencial para sua definição. Nesta última, caso a taxa básica de juros aumente (SELIC), o que costuma acontecer em cenários de inflação alta, ela também aumentará. Isso implica que em cenário de inflação alta os juros elevados tornam mais difícil a compra de um apartamento ou casa por aumentar o custo.

Para a realização da compra de um imóvel, deve-se avaliar se será utilizado apenas capital próprio ou de terceiros, o empréstimo ou outro financiamento. O capital disponível constitui uma limitação, pois força o interessado a definir um número de opções baseadas neste critério. Se o imóvel for financiado, ainda há a avaliação do imóvel pelo banco, que pode descartar a possibilidade de aquisição de determinado imóvel devido às suas características, localização ou estado de conservação.

Os preços dos imóveis são fortemente influenciados pela sua localização. Assim quanto mais bem localizado for o imóvel, mais caro ele será. Enquanto imóveis em áreas rurais ou da periferia podem ser adquiridos por valores mais baixos, o preço da compra de um imóvel pode se multiplicar quando se trata dos centros metropolitanos do país. Deve-se também avaliar o custo de vida na região. Muitas vezes, imóveis de alto padrão estão localizados em áreas com alto custo de vida ou fora do perímetro urbano, aumentando os custos de deslocamento, por exemplo. Estes custos secundários devem ser considerados na hora de decidir se quer alugar ou comprar um imóvel.Para os imóveis financiados há ainda a questão do comprometimento da renda. As instituições financeiras limitam o valor da parcela do financiamento a até 30% atualmente. Porém, o comprador deve ter em mente que os demais gastos pessoais, como financiamento de um carro ou de eletrodomêsticos, e outros gastos familiares podem correr o restante da sua renda.

A possibilidade de ficar desempregado deve ser levada em conta por aqueles que têm emprego fixo, mas não tem estabilidade garantida, e financiaram o imóvel. Caso o comprador não seja capaz de honrar com as parcelas, o imóvel pode ser levado a leilão pelo banco. O cálculo da compra sempre deve ser feito com uma reserva para esta eventualidade.

Como Decidir

pontos de interrogação

E no final das contas – o que devo fazer?

A descisão de alugar ou comprar um imóvel é resultado de um processo individual que considera as vantagens e desvantagens de ambas as alternativas sem esquecer de possíveis fatores externos. Para a maioria das pessoas, a avaliação qual alternativa é mais vantajosa se reduz a uma decisão financeira.

O interessado pode calcular o quanto o aluguel lhe representará de custos durante o período no qual ele estará morando sob essa modalidade e compará-lo com o investimento necessário para a compra de um imóvel dentro das possibilidades possíveis, a saber, a aquisição à vista ou financiamento. Para aqueles que vão adquirir o imóvel de forma parcelada, um cálculo simples pode ser feito utilizando como base a diferença entre o soma das parcelas de um financiamento e a soma do aluguel pago, em relação ao valor do imóvel que se deseja adquirir.

Exemplo:
Valor do imóvel: R$ 300.000,00 (Com entrada de R$ 50.000,00)
Valor da parcela do financiamento: R$ 3.691,84 (Financiamento em 120 meses com taxa de juros de 8% a.a.)
Valor do aluguel: R$ 1.100,00 (para simplificar este valor não muda)
Diferença: R$ 3.691,84 – R$ 1.100,00 = R$ 2.591,84
Representação da diferença financiamento – aluguel em 120 meses: R$ 2.591,84 x 120 = R$ 311.020,80

Como se pode perceber, se o possível comprador ao invés de financiar o imóvel simplesmente guardar a diferença entre o que ele pagaria referente à parcela do financiamento e o valor do aluguel, ao final de 120 meses ele teria R$ 311.020,80, valor suficiente para comprar o imóvel desejado à vista. Caso o dinheiro fosse depositado na poupança, com o rendimento de 0,05% ao mês, ele chegaria ao valor de, aproximadamente, R$ 330.000,00. Neste caso, é mais vantajoso que o indivíduo pague aluguel e guarde parte do dinheiro para a aquisição do imóvel. Se o valor da parcela e o valor do aluguel são iguais ou muito próximos, a aquisição financiada é mais apropriada, uma vez que o sistema de amortização utilizado pelos bancos costuma ser decrescente e o valor do aluguel só irá aumentar com o passar dos anos.

Para aqueles que possuem a quantia referente ao imóvel desejado em mãos, a compra se torna uma boa opção, uma vez que ele poderá negociar mais livremente e poderá obter bons descontos na compra. Há ainda os que preferem viver de aluguel e investir a quantia que se tem no mercado (bolsa de valores, títulos financeiros e outros), porém essa é uma prática recomendada somente para investidores experientes. Como cada situação possui suas peculiaridades. Para ajudar a sanar esta dúvida o comprador pode realizar simulações em sites da internet ou até mesmo com o seu corretor para saber se é mais vantajosa comprar ou alugar o imóvel.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.